Atenção redobrada

 

Estudo da divisão de Psicologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), realizado entre agosto e novembro de 2010 com 40 gestantes de 18 a 41 anos, mostrou que 17,5% das pacientes tinham bulimia ou anorexia. O índice é considerado alto se comparado com dados da literatura médica, que aponta que 3% da população mundial sofre com esses transtornos alimentares.

“É um alerta sobre a importância das avaliações psicológica e nutricional durante a gestação”, diz a psicóloga Gláucia Guerra, responsável pela pesquisa. Segundo ela, é difícil diagnosticar a bulimia ou anorexia durante a gravidez. Alguns sintomas bulímicos, a exemplo do vômito, podem ser confundidos com os sintomas naturais da gestação. Por isso, é fundamental que os familiares e o médico fiquem atentos.

“A preocupação excessiva com o peso e a imagem corporal, num período em que os cuidados com a saúde devem ser redobrados, compromete a saúde da mãe e do bebê”, afirma o psicólogo Niraldo de Oliveira Santos, um dos responsáveis pelo estudo.

 

Fonte:
Revista Fleury
Saúde em Dia - Edição 23